FEDERAÇÃO DA AGRICULTURA E PECUÁRIA DO ESTADO DO TOCANTINS
BUSCA NO SITE
TEMPO
Notícia

Mercado do boi gordo o cenário tocantinense segue favorável

05/09/2019 12h45

FAET informa você produtor: no mercado do boi gordo, o cenário tocantinense segue favorável. A necessidade de repor estoques e a falta de matéria-prima têm aumentado o ímpeto de compra das indústrias. Escala de abate está mais curta que as demais regiões. Além do Tocantins, os estados de Minas Gerais, Goiás e São Paulo também apresentam alta, segundo levantamento feito pela Scot Consultoria na última quinta, 29.

Em São Paulo os preços tiveram mais um dia de alta e o boi gordo ficou cotado em R$155,50/@, à vista, livre de Funrural. Na praça paulista, ofertas de compras abaixo desta referência são incomuns.
Além disso, no Tocantins, devido à alta quantidade de fêmeas abatidas nos anos anteriores, a oferta de animais jovens está menor no estado. Este cenário, associado à demanda em alta, fez com que os preços dessa categoria decolassem.
Desde agosto passado, o preço do bezerro de ano anelorado de 7,5@ aumentou 25,0%, antes cotado em R$1,2 mil, atualmente é negociado ao redor de R$1,5 mil. Já para bezerro desmama anelorado de 6@, houve valorização de 21% no mesmo período.

Reposição

Quanto à reposição, o mercado trabalhou em um compasso mais lento no final de agosto. A calmaria atingiu, principalmente, Tocantins, Goiás e Pará, estados onde os preços subiram bem nas últimas semanas do mês, afastando os recriadores e invernistas das negociações.
Diante desse cenário, as referências ficaram praticamente estáveis na comparação semanal. Na média de todos os estados e categorias aneloradas pesquisadas o ajuste foi de 0,2%.
Entretanto, na comparação mensal, houve valorizações mais intensas, consolidando a retomada do viés altista do mercado de reposição.

Desde o final de julho, na média de todos os estados e categorias aneloradas pesquisadas, as cotações subiram 1,1%.
As cotações firmes e em alta para a arroba do boi gordo ao longo do mês estimularam o giro da fazenda e aqueceram a demanda pela reposição do rebanho.
Desta forma, diante do cenário de pouca oferta, os preços dos animais de reposição ganharam força em agosto. (FONTE: Norte Agropecuário e Portal do Agronegócio)

 



   
  • Nenhum comentário publicado. Clique aqui para comentar.