FEDERAÇÃO DA AGRICULTURA E PECUÁRIA DO ESTADO DO TOCANTINS
BUSCA NO SITE
TEMPO
Notícia

FAET informa: Estados que formam Matopiba devem produzir 25,4 milhões de toneladas de grãos

26/09/2018 14h01

FAET informa: Estados que formam Matopiba devem produzir 25,4 milhões de toneladas de grãos em 8,8 milhões de hectares em 10 anos

O crescimento da produção na região será de 8,6%. Já o aumento da área produzida é de 13,6%. Em nível nacional, o estudo aponta que o Brasil deve produzir 69 milhões de toneladas a mais de grãos, puxadas principalmente pela soja e o milho, com incremento estimado em 30%.

Dados da Projeções do Agronegócio, Brasil 2017/18 a 2027/28 apontam que os Estados que formam a fronteira agrícola do Matopiba devem produzir 25,4 milhões de toneladas de grãos em um prazo dez anos numa área de 8,8 milhões de hectares. Atualmente, a produção gira em torno de 23,221 milhões de toneladas em 7.688 milhões de hectares. O Matopiba tem 738.698 km2 em 337 municípios dos Estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia.

Os números constam no estudo feito pela Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e da Secretaria de Inteligência e Relações Estratégicas da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (SIRE/Embrapa). Os dados foram copilados pelo Norte Agropecuário. O crescimento na produção, conforme o relatório, é de 8,6%. Já o aumento da área produzida é de 13,6%.

“A região formada pelos estados de Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, conhecida como Matopiba, tem uma dinâmica diferenciada de crescimento. Por esta razão o interesse em apresentar os resultados das principais projeções. Seu crescimento tem sido extraordinário. Os quatro estados devem atingir uma produção de grãos de 25,4 milhões de toneladas nos próximos 10 anos numa área plantada de, 8,8 milhões de hectares em 2027/28”, aponta o relatório. (FONTE MAPA/ NORTE AGROPECUÁRIO)

CONFIRA TUDO NA INTEGRA

http://www.norteagropecuario.com.br/media/9042/estudo-do-mapa.pdf

 



   
  • Nenhum comentário publicado. Clique aqui para comentar.